O Jardim

Sobre a família

“Embora as instituições religiosas, sociais e educacionais sejam todas essenciais à sobrevivência da civilização cultural, a família é a mestra civilizadora. Uma criança aprende a maior parte das coisas essenciais da vida com a sua família e os vizinhos.”

“Quase tudo de valor perdurável na civilização tem as suas raízes na família. A família foi o primeiro grupo pacífico de êxito, o homem e a mulher aprendendo a ajustar os seus antagonismos e, ao mesmo tempo, ensinando a busca da paz às suas crianças.”

“O matrimônio, com a edificação do lar em grande parte existe para automanutenção da espécie e implica a evolução da sociedade. A sociedade é, em si mesma, a estrutura que agrega as unidades familiares. Os indivíduos são muito temporários, como fatores planetários — são as famílias que promovem a continuidade da evolução social. A família é o canal através do qual flui o rio da cultura e do conhecimento, de uma geração a outra.”

Anastásia:

Os Cedros Ressoantes da Rússia – Vladimir Megré
O Legado de Anastásia, por Marsha Hanzi
Baixa os livros em português
Download books in english

Como construir hortas florestais em 80% das terras do Brasil:

“Da horta à floresta”


Sobre a vida no Jardim

 “Adão e Eva exerceram uma influência duradoura sobre toda a humanidade; pela primeira vez, na história do mundo, homens e mulheres foram vistos trabalhando lado a lado no Jardim. O ideal Edênico de toda uma família de jardineiros era um novo ideal em Urântia.”

“As montanhas que circundavam o Jardim eram ricas em pedras e metais preciosos, embora pouquíssima atenção se desse a isso. A idéia predominante era de glorificação da horticultura e exaltação da agricultura. Os filhos de Adão, exceto pelos quatro anos em que freqüentavam as escolas do oeste, viviam e trabalhavam no “leste do Éden”. Eram educados intelectualmente até os dezesseis anos de idade, de acordo com os métodos das escolas de Jerusém. Dos dezesseis aos vinte anos, eles instruíam-se nas escolas da Terra, na outra extremidade do Jardim, servindo ali também como professores para os graus anteriores. Todo o propósito do sistema das escolas do oeste do Jardim era a socialização. Os períodos matinais de recreação eram dedicados à horticultura e à agricultura práticas; os períodos da tarde, aos jogos competitivos. As noites eram gastas em relações sociais e no cultivo de amizades pessoais. A educação religiosa e sexual era considerada domínio do lar, um dever dos pais. O ensino nessas escolas incluía a instrução sobre:

  1. Saúde e cuidados com o corpo.
  2. A regra de ouro, o modelo das relações sociais.
  3. A relação dos direitos individuais com os direitos grupais e as obrigações.
  4. A história e a cultura das várias raças da Terra.
  5. Os métodos para implementar e fazer o comércio mundial progredir.
  6. A coordenação dos deveres e emoções conflitantes.
  7. O cultivo dos jogos, humor e substitutos competitivos para as lutas físicas.”